Empreendedores do Parque Social são os novos expositores de Shopping baiano

Eles receberam capacitação do Programa Comunidade Empreende (PCE)

O artesão Orni Barros e os artistas plásticos Vanessa Freitas e Gilton Gomes são os novos expositores da loja colaborativa Coreto Store – Shopping Bela Vista. Eles participaram em 2018 do Programa Comunidade Empreende (PCE), o que possibilitou a potencialização dos mesmos como empreendedores sociais.

O Programa tem o apoio da Prefeitura Municipal do Salvador, onde integra o 8º Eixo – Inclusão Socioeconômica do Programa Salvador 360 e do Instituto Camargo Corrêa, que participou ativamente do Programa, não só como financiador, mas através de visitas, mantendo uma aproximação direta com os empreendedores.

O PCE tem a finalidade de disseminar a cultura de autodesenvolvimento nas comunidades de Salvador, através do empreendedorismo social, potencializando empreendedores sociais, organizações comunitárias, ativos da comunidade e a educação cidadã.

De acordo com o Educador Social Paulo Oliveira, a capacitação do PCE é transformadora e respeita o tempo de cada empreendedor.

“ Eles saem da condição e artistas invisibilizados, de um bairro popular de Salvador, e passam a ser artistas desejados e respeitados por um público maior, que também valoriza produtos criativos. Com essa oportunidade, acontece uma grande transição na vida deles”, comemora Paulo.

O programa, que também já foi realizado no Bairro da Paz e Centro Histórico, fez um estudo no Complexo do Nordeste de Amaralina para identificar, junto com os moradores, pessoas que já desenvolviam um trabalho social com potencial para negócio.

Foi assim que os artistas passaram a receber capacitação empreendedora de 144/horas, distribuídas ao longo de 8 meses, ao lado de 26 outros empreendedores. Atualmente 25 iniciativas empreendedoras que participaram do PCE estão participando de eventos de captação, desafios, concurso ou incubação.

Todos tiveram aulas de finanças, plano de negócio e liderança empreendedora. Nas aulas de mentorias individuais foi identificado que alguns negócios desenvolvidos pelos participantes já eram altamente criativos e já possuíam valor agregado podendo ser comercializados.

“Eu tinha resistência em empreender, mesmo tendo certeza do potencial do meu produto. Através da aprendizagem adquirida no PCE eu pude criar conexões e ter uma visão de negócio. Estou com muita expectativa em relação a essa oportunidade de expor meus produtos em um shopping. Tenho certeza que tudo dará certo”, destaca Vanessa.

Deixe um Comentário