Presidente do Parque Social, Rosário Magalhães comanda campanha beneficente para apoiar trabalhadores informais

As doações podem ser feitas através de depósitos nas contas bancárias da Paróquia de Nossa Senhora da Vitória e na da Paróquia de Santana.

 A ideia é ajudar trabalhadores informais em situação de vulnerabilidade. A proposta da campanha é arrecadar doações e distribuir R$250 para cada beneficiário. Inicialmente, terão prioridade aqueles que têm 60 anos ou mais e que atuavam nas praias de Salvador. 
 
As doações podem ser feitas através de depósitos nas contas bancárias da Paróquia de Nossa Senhora da Vitória e na da Paróquia de Santana. As doações devem ser feitas em cotas de R$ 50. Cada voluntário pode assumir quantas cotas couberem em seu orçamento. Depois, os valores serão repassados diretamente para as contas dos beneficiários.
 
O administrador apostólico da Arquidiocese de Salvador, dom Murilo Krieger, destacou que o projeto é uma expressão do sentimento de solidariedade da sociedade soteropolitana. Para ele, em momentos de necessidade como o atual, é possível enxergar a formação de dois grupos. O primeiro é aqueles que tentam tirar vantagem da situação, obtendo lucro. 
 
“O segundo grupo é formado por aqueles que buscam respostas criativas para ajudar os necessitados, pois sentem como suas a dor e as carências dos demais. Deixo o primeiro grupo de lado e concentro-me no segundo que, felizmente, é mais numeroso”, analisa dom Murilo.
 
Engajada na campanha como cidadã atenta às necessidades dos trabalhadores informais, a presidente de honra do Parque Social, Rosário Magalhães, destaca que a situação exige uma atenção de todos. 
 
“Em um momento como esse temos que unir esforços e sermos solidários com os menos favorecidos. Ao longo desses anos tenho tido a oportunidade de compreender a realidade desses trabalhadores que são quase 42% da população ativa de Salvador. Sei da dificuldade que eles enfrentam no dia a dia. Temos feito um trabalho relevante com o Parque Social para esse segmento. Mas, diante dessa pandemia é urgente que busquemos ajudá-los. Muitos trabalhadores informais que atuavam nas praias precisam de ajuda para garantir um sustento mínimo imediato”, destaca Rosário.
 
Para o padre Luís Simões, pároco da Igreja de Nossa Senhora da Vitória, essa mobilização deve trazer mais atenção para a campanha. É evidente que temos a intenção de despertar a solidariedade nos amigos e nas pessoas que podem trabalhar juntas”, diz o padre Luís. “As necessidades se alastram como um vírus. Todo mundo está desesperado para se manter”, completa. 
 
O padre Abel Pinheiro, pároco de Nossa Santana e da Catedral Basílica, faz uma relação com os últimos trechos do Evangelho de Mateus, na Bíblia. “Eu estava com fome e me deste de comer”, diz o capítulo 25, citado por ele. 
 
“Essa campanha em prol dos mais necessitados é uma maneira de externarmos nossa caridade, nossa generosidade, nossa ação cristã em prol dos pequeninos. Nós somos os braços, as mãos de Jesus, o coração de Jesus para amar e fazer uma coisa concreta”, pontua Padre Abel.
 
Saiba como participar:

Banco do Brasil
Paróquia de Nossa Senhora da Vitória
Assinam: Luís Moreira Simões de Oliveira e Emília Maria Sales Navarro de Brito 
Agência 3459-2
Cc 29147-1
CNPJ 13.940.325/0001-04
 
Banco Bradesco
Paróquia de Santana 
Assinam: José Abel Carvalho Pinheiro e Roberto Fernandes Dias
Conta: 54.185-0
Agência: 3266-2
Titular: Paróquia de Santana

Deixe um Comentário





Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0