Diogo-Rego

Empreendedorismo Social: definindo o tema

Diogo Ferreira de Almeida Rêgo

O tema empreendedorismo social no Brasil, ainda não recebeu a devida atenção e tratamento científico. São poucas as produções sobre este tema em nosso país, se compararmos a outros países como E.U.A e Europa, que já tem uma tradição neste campo, tanto por parte de instituições de ensino e pesquisa como de ONG’s e empresas, disseminando tanto o conceito como as práticas dos chamados negócios sem fins lucrativos (business nonprofits) ou de empreendimentos sociais (social entrepreneurs).(OLIVEIRA, 2004 b)

Entre os vários conceitos de empreendedorismo, desde os voltados às suas origens históricas aos mais contemporâneos, é imprescindível que as organizações voltem-se para este tema, sendo o papel do empreendedor fundamental na sociedade, seja na área ecológica, saúde, financeira, social ou administração de organizações sem fins lucrativos (SOUSA et al., 2006).

Elkington e Hartigan,(2008) destacam que não há uma definição padrão sobre que é o empreendedor social. O Empreendedorismo Social se tornou algo bastante genérico, fato este que Dees analisa bem:

Embora que o conceito de “empreendedorismo social” esteja ganhando popularidade, ele acaba significando diferentes coisas para diferentes pessoas. E isso pode ser confuso. Muitos associam o termo empreendedorismo social exclusivamente com organizações sem fins lucrativos que iniciam empreendimentos com fins de lucro. Outros o usam para descrever qualquer um que inicie uma organização sem fins lucrativos. Ainda outros o usam para se referir a empresários que aderem a práticas de responsabilidade social. (DEES, 1998)

Dees (1998) ainda destaca que as diferenças básicas entre o Empreendedorismo Social e o tradicional, que são: a missão social e a mistura métodos sociais e comerciais. Contudo para efeito deste artigo iremos definir o Empreendedorismo Social como sendo uma arte e uma ciência, um novo paradigma e um processo de inovação em tecnologia e gestão social, e um indutor de auto-organização social para o enfrentamento da pobreza, da exclusão social por meio do fomento da solidariedade e emancipação social, do desenvolvimento humano, do empoderamento dos cidadãos, do capital social, com vistas ao desenvolvimento local integrado e sustentável (OLIVEIRA, 2008).

Dentre os fatores importantes que se destacam no Empreendedorismo Social está a inovação, principalmente quando se aponta esta questão no sentido de implementação de “soluções inovadoras para os problemas sociais existentes e potenciais.” (MELO NETO e FROES, 2002, p. 9). “Empreendedorismo Social é um tipo de ação socialmente transformadora. E, como tal, diferencia-se de todas as demais idéias de negocio pelo seu caráter inovador.” (MELO NETO e FROES, 2002, p. 49). Além da inovação, está a interseção entre ferramentas empresariais e o comprometimento e engajamento social, onde soluções inovadoras geram soluções para os problemas sociais existentes e potenciais.

 

BIBLIOGRAFIA

DEES, Gregory. O Significado de Empreendedorismo Social. Universidade de Stanford, 1998

HARTIGAN, Pamela & MARTIN, Maximilian. Leveraging Market-Based Action for Positive Change: A Seminar on Social Entrepreneurship. Lecture 4: Getting Started: Early-Stage Social Entrepreneurship. (Discussion document) Schwab Foundation for Social Entrepreneurship, 2003. Disponível em: <http://www.schwabfound.org/courses.htm> Acesso em: 10 nov. 2006.

MELO NETO, Francisco de Paulo de & FROES, César. Empreendedorismo Social: a transição para a sociedade sustentável – Rio de Janeiro : Editora Qualitymark, 2002.

OLIVEIRA, E.M. Empreendedorismo social: da teoria à prática, do sonho à realidade: ferramentas e estratégias. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2008.

OLIVEIRA, Edson Marques. Empreendedorismo Social, Combate a Pobreza e Desafios para Geração de Emancipação Social no Brasil.Revista Expectativa,Paraná, v. 3, n. 3, p.57-66, 2004. Disponível em: <http://e-revista.unioeste.br/index.php/expectativa/article/viewArticle/745>. Acesso em: 20 maio 2008.

SOUSA, Edileusa Godói de et al. A Dinâmica Das Ações Nas Organizações Do Terceiro Setor E Sua Relação Com O Empreendedorismo Social. Enanpad 2005, ESO-C – Empreendedorismo e Comportamento Empreendedor . Disponível em: <http://www.anpad.com.br/evento.php?acao=trabalho&cod_edicao_subsecao=30&cod_evento_edicao=9&cod_edicao_trabalho=432>. Acesso em: 10 dez. 2006.

Comments