História

O Bairro da Paz teve sua origem em 1982, quando excluídos do mercado imobiliário ocuparam uma área contígua à Avenida Luís Viana Filho, mais conhecida como Avenida Paralela, nas proximidades do bairro de Itapuã (vide mapa). A ocupação, convencionalmente tratada como "invasão", passou a se chamar Malvinas, pelo fato de ter começado na época da guerra entre a Argentina e a Inglaterra pela posse das Ilhas Malvinas. O trabalho se voltou não somente para a história da luta dos moradores pela fixação naquelas terras pretensamente particulares, mas também para a história da propriedade destas terras e para os interesses político-financeiros dos proprietários.

mapa bairro da paz

Mapa 01 Localização do Bairro da Paz. Google earth, acessado em 18 de agosto de 2014

Em 1983, a "invasão" é remanejada. Só que, em 1986, uma nova ocupação refaz Malvinas, que se fixou e perdura até hoje. Cabe mencionar que este processo não é exclusivo deste bairro, mas ocorre reiteradamente no processo de crescimento da cidade, concomitantemente com empreendimentos imobiliários, ambos os casos frequentemente à margem do planejamento urbano, quando ele é explicito e, ainda, envolve situações de tensão e violência.

Na década de 1990, a Fundação Dom Avelar chega à ocupação. Obras sociais e organização política convivem juntas. Os casebres de pau a pique começam a ser substituídos por pequenas casas de bloco e cimento, tornando-se mais resistentes.

Aos poucos o Bairro vai-se inserindo numa cidade com dificuldade para absorver a mão de obra da sua população, com serviços básicos como educação, saúde, segurança, saneamento, energia deficitários, fato que se estende para o Bairro, frequentemente em níveis de maior precariedade.

No processo de ocupação foram geradas diversas organizações as que, a partir dos seus acertos e erros, os moradores sentiram a necessidade de criar uma organização com uma representação mais coesa e transparente, com destaque para o Conselho de Moradores que assume a liderança nesse período inicial a busca de soluções para o Bairro, articulando-se para tal finalidade com órgãos públicos e privados, identificando o associativismo / cooperativismo como alternativa de melhores condições para a população trabalhadora do Bairro, sendo uma atividade frequente o aproveitamento dos resíduos sólidos, tal como latinha, plástico, papelão e outros, que após colheita eram repassados aos intermediários.

Em 2005, com o apoio do Programa Petrobrás Fome Zero, do Governo Federal, Projeto Cidadania e Paz, sob gestão administrativa da ONG, Centro de Treinamento e Movimento para Cidadania - CTMC, Desenvolvimento Regional Sustentável - DRS do Banco do Brasil, Companhia de eletricidade da Bahia COELBA, Organizações Não Governamentais - ONG's: Agencia de Desenvolvimento Solidário - ADS; Instituto Integrar: Oficina da Cidadania, entre outras instituições, foi formado o grupo de interesse com aproximadamente 42 componentes, que da inicio ao movimento associativista / cooperativista estruturado no Bairro da Paz, na perspectiva de constituir a COOPERPAZ - Cooperativa Múltipla do Bairro da Paz e assim associar trabalhadores das mais diversas categorias profissionais para a produção e comercialização de bens e serviços; esta experiência não chegou a ser registrada, pois, no percurso, se mostrou inviável gerenciar um leque amplo de atividades econômicas numa só organização.

Nesse mesmo ano, 2005, a Cooperativa Colibris recebe o apoio do Programa Desenvolvimento Regional Sustentável - DRS que integra uma ação social do Banco do Brasil através de um representante do Conselho de Moradores (parceiro da cooperativa), pois esta cooperativa desenvolvia atividades que atendiam ao requisito do Programa DRS. Este Programa promoveu parceria estratégica com a COELBA, assinando um Convênio, em outubro de 2005, para apoiar/desenvolver projetos no território do Bairro da Paz, buscando contribuir para reduzir o problema do desemprego dos moradores e suas consequências.

A partir da parceria BB e COELBA, o foco do trabalho foi ampliado. Outros parceiros também aceitaram o desafio de mudar, para melhor, a realidade desta Comunidade, contribuir para corrigir as desigualdades e combate a pobreza com ações geradoras de trabalho e renda.

Assim, foram criadas seis cooperativas, cinco voltadas à produção, e uma a serviços, sendo elas:

COPERPAZ - Cooperativa de Catadores e Reciclagem de Resíduos Sólidos e Agentes Ambientalistas do Bairro da Paz, com atividade produtiva voltada para a reciclagem de garrafas PET e na produção de vassouras ecológicas, direcionadas para clientes solidários, sensibilizados e comprometidos com a questão as sustentabilidade ambiental e social;

OBIRIM - Associação de mulheres da comunidade, com forte apelo social e voltadas a confecção de uniformes;

SABOR DA PAZ - Cooperativa de mulheres (jovens e senhoras) da Comunidade do Bairro da Paz que participaram do curso de culinária - Cozinha Brasil, ministrado pelo SESI - Serviço Social da Indústria, do Programa Fome Zero do Governo Federal, articulado através de parcerias institucionais do Conselho de Moradores, dentre as quais a Santa Casa de Misericórdia.

SEMENTE DA PAZ – Cooperativa de artesanato, arte em papel jornal, de forma organizada começou a ser desenvolvida na sede do Conselho de Moradores do Bairro da paz, por um grupo de pessoas residente no bairro;

COLIBRIS - Cooperativa Mista dos Produtores em Corte e Costuras, Artefatos em Couro, Materiais de Limpeza, Bijuteria, Artesanatos, Instrumentos Musicais e Serigrafia; e,

CPS – Cooperativa de Prestação de Serviços na Construção Civil.

A ação destes grupos e outros que promovem projetos sociais no Bairro da Paz mostra como limitação a falta de integração entre eles, o que leva à maturação de uma ideia integradora no período entre o final de 2006 e o início de 2007, de um encontro, chamado Seminário de Entidades Sociais do Bairro da Paz, que aconteceu em abril de 2007. Após a realização desse evento cria-se o Fórum Permanente de Entidades do Bairro da Paz com encontros mensais a fim de e através dele, deliberar sobre questões de interesse do Bairro.

Na atualidade o Bairro da Paz apresenta carências diversas, dentre as quais espaços estruturados para a prática de esportes, lazer e atividades culturais. Cabe assinalar que ainda no mês de setembro de 2014 foram entregues mais mil títulos de posse de terra pela Prefeitura de Salvador, que anunciou a continuidade desta ação, com a expectativa de emitir mais seis mil títulos até o final deste ano; e, o Centro de Saúde foi reformado e entregue para atendimento da demanda local em parceria com a Santa Casa de Misericórdia que cedeu profissionais para trabalhar no local, junto com a PMS (Prefeitura Municipal de Salvador).

  • prefeitura
  • santa casa
  • instituto camargo
  • camargo correa